sexta-feira, 27 de abril de 2007

outra vez

outra vez eu nao ouvi o que tinha pra dizer
outra vez eu nao te disse o que sentia
este medo afastou eu de vc
voltar atras agora eu queria

tudo o que tenho em mim é amor
isso ninguem pode me tirar
o meu coraçao te entregou
tudo o que eu tinha pra te dar

me perdi,pela vida eu andei
mas um dia posso voltar
fingir que nao te vi,que nada sei
e vc vai me esperar?

outra vez eu nao senti o que queria
outra vez exagerei na dose
vc disse que eu nao sabia
mas só entende quem sofre

eu nao quero mais sentir,nao quero me entregar
fingir que eu nao te vi,que nao vou me importar
eu nao quero me prender,eu nao posso te amar
mas vc vem me provocar

e de qualquer jeito,ah,eu nao posso te deixar...

Um comentário:

mateus müller disse...

Resposta para a sua poesia
(Original: Outra vez. Thamires Lourenço; Versão: Mateus Müller)

Você parece não escutar o que eu digo
Você esconde de mim o que eu não sou capaz de descobrir sozinho
O medo que te move é o mesmo que me alimenta
Mas estou neste canto, ghorando sobre as poesias em pergaminho...

O mesmo amor que tens, é o que eu tenho por você
Não se preocupe, ninguém vai roubá-lo
O teu coração está no meu
assim como o meu quer o teu, apaixonado.

Na vida perdida que eu levei antes de você
finalmente, teu sorriso me achou errante
Não finja nada mais, essa noite já fez a parte dela
agora, só podemos esperar!

Outra vez eu tento lhe dizer
que outra vez vou te buscar até no inferno
Você esperou pelo meu engano
você se aproveitou do meu erro

Você quer sentir, não negue... se entregue
não finja que não viu eu te acenar, não minta que não sentiu eu te tocar
se prenda a mim, que eu te liberto
basta vc deixar...

de qualquer jeito, eu vou te buscar!