quinta-feira, 26 de abril de 2007

acasos e imprevistos


vc era a razao e a lei
quem sabe esse mar vai me trazer vc?

nosso amor estamparia todo outdoor
mas será que eu nao mereço nada maior?

a força do meu pensamento é o mais importante
talvez eu não seja só uma bonequinha dessa estante

e tudo o que nós acreditamos
sao ensinamentos resplandecentes e profanos

quem sabe se eu me perder
vc ainda lembrará se eu existo?
sao coisas que me levam a nao entender
se existem os acasos,imprevistos

simplismente amando,simplismente amor
lugares-comuns me seguem por onde eu for
palavras perdidas,cenas repetidas
um filme que eu ja vi
mas acho que o acaso cruzou as nossas vidas
eu juro que te amo,Henri!

2 comentários:

Poeta Morto disse...

Belo poema, também li os de baixo, mas irei deixar uma msg apenas neste, bom não gosto deste tipo de poema, na verdade um texto de declaração, mas ésta bonito.
Abraços.

mateus müller disse...

BOm...

como disse o dead ali em cima, é uma declaração... mas está muito bonita... tanto que só pode ser de autoria sua msm!

bjox