segunda-feira, 23 de abril de 2007

Isabel

era um dia nublado
isabel olhou o alto
firmamento - infinito
teu rosto - resplandecente,lindo
era um dia de outono;
canta o passaro,salta o mono
e miro profundos olhos de mel
estás triste porque,isabel?
era um dia escuro
lugebre,como um olhar profundo
nao havia um só anjo no céu
porque choras,isabel?
aquele que nunca retornará
está morto como a luz do sol,com sabor de fel
era seu amor e ela ainda o venerará
encontraste a morte,isabel?

2 comentários:

mateus müller disse...

Captaste bem a métrika...

em suma, eh a tua 2ª melhor.

Poeta Morto disse...

Olá,
Adorei este poema, e por isto estou a postar, e dizer que estão cada vez melhor, continue assim minha cara amiga Poetisa;
Beijos. ..