sexta-feira, 11 de maio de 2007

sol da América

Trazendo um novo dia – desponta no horizonte
Porque não nos encara de fronte?
E mais um raiar,sacrossanto e maldito
Já nasce muito antes de detrás dos montes infinitos
Bem vindos às trevas!
- assim seríamos sem o Rei
Majestade,não nos cubra com as névoas
Pois as vagas,que resvalam,eu iluminei
Ah,Deus,a luz do mundo novo!
Será que podes ouvir o canto audaz deste povo?
Ah,estes desafortunados não serão ouvidos
Será que serão... reles anjos traídos?
Sobrevoa perto,à distancia,a aeroconstrução dinâmica
Dos Estados Independentes à Península Balcânica
Este Báltico,congelado... abram o mar!
Iluminem as terras e águas de Gibraltar...
Esta luz que raia sem cessar
Que nos povoa a Terra,mas não nos mérita
A luz está sempre conosco,cá
Tribos desta infeliz América!

Um comentário:

mateus müller disse...

Sem palavras, mas não é do tipo de poesia que me alimenta. husahusahu

Bonita, mas pra mim não muito...^^

bju