segunda-feira, 17 de setembro de 2007

O brilho das estrelas;

um coração que fere a si mesmo
é um coração que perde tempo
mas na humildade se eterniza;
não importa pra onde for
o vento vai me levar
o teu sorriso me conquistou
tenho certeza que brilha de amor
quando te vejo, meu olhar;
o mundo lá fora
parece ser tão down
passa um século, passa uma hora
e não há nada de anormal
se o mesmo tempo durarem
as coisas se eternizam por sua intensidade
enquanto as estrelas brilharem
meu amor vai ser verdade
e anos-luz depois
elas ainda vão brilhar
assim como nós dois
nossas retas, luzes, vão se encontrar

Um comentário:

mateus müller disse...

Thataaaaaaaa!!!

Que bom que você voltou! E cada vez melhor!

Abraços!